PALESTRA NO CIEP 314 GALILEU GALILEI_ 06 de novembro de 2007


Você é um presente?


No dia 06 de novembro de 2007,
das 16h às 18h,a Professora Graça Santos
falará sobre as pessoas valiosas que fazem
este CIEP acontecer.
**********************************************************
PROJETO
Luz, Câmera, Ação! Estamos querendo ouvir você!

TÓPICOS
· Relações Humanas
· Relacionamento
· Liderança
· Comunicação
· Motivação
****************************************************
Público-alvo:
Funcionários de Apoio
**********************************************
Para saber mais:

O GESTOR: UM INDICADOR DE QUALIDADE NO ENSINO MÉDIO _ pesquisa realizada por GRAÇA SANTOS

Prêmio Instituto Unibanco 2007 incentiva melhoria no Ensino Médio Público
Participei com esta pesquisa:O GESTOR: UM INDICADOR DE QUALIDADE NO ENSINO MÉDIO

APRESENTAÇÃO

As mudanças contínuas no cenário econômico mundial, os avanços da ciência e da tecnologia, a evolução dos conceitos e paradigmas da gestão e os impactos causados pelas novas tecnologias da informação e comunicação implicam na necessidade do Estado repensar seus modelos de gestão e de relacionamento com a sociedade, buscando estratégias que possibilitem maior autonomia, flexibilidade e eficiência e o apoio a um maior controle desse Estado pela sociedade. Por outro lado, a natureza dos problemas enfrentados pela educação pública e a necessidade de transformações têm demandado, de forma cada vez mais urgente, a adoção de estratégias de gestão que contribuam efetivamente para o fortalecimento e aprimoramento das instituições e sistemas de ensino.
A gestão educacional utiliza um conjunto de conceitos, técnicas e metodologias que orientam as atividades de planejamento, implementação, acompanhamento, avaliação e controle da prática educativa.
Na concepção da gestão educacional pública brasileira, a autonomia e a gestão democrática são referências fundamentais. A autonomia corresponde ao processo de descentralização de atribuições e responsabilidades dos entes federados, a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, criando condições ou perspectivas para a ampliação ou a instauração de espaços e processos de participação social e compartilhamentos de decisões. A gestão democrática é a outra marca importante dos processos de gestão e deve permear os micro e macroprocessos de gestão dos sistemas educacionais. Entretanto, a democratização deve ser plena, respeitando os alunos e a competência dos professores. É importante ressaltar que a democratização é um meio para que o aluno tenha melhor educação, melhor aprendizagem e desenvolva o sentido de cidadania responsável.
Nos últimos anos, as estratégias de gestão pública e, em especial, as de gestão educacional têm experimentado avanços qualitativos importantes, que as colocam entre os fatores decisivos para o alcance dos objetivos e metas das políticas públicas sociais, das instituições, e as transformam, cada vez mais, em tarefas especializadas e complexas. Nesse contexto, a gestão educacional cuida de questões estratégicas e de questões operacionais, delineando o modus operandi que os sistemas e redes de ensino e, em especial, as unidades escolares devem adotar para o enfrentamento de seus desafios e a consecução das políticas educacionais.
Visando, pois, a contribuir para aprimorar a gestão educacional dos sistemas estaduais de ensino médio, esta pesquisa vem propor a criação e implementação de um Projeto Piloto com ações de apoio ao desenvolvimento de políticas de Educação Básica (exclusivamente para gestores do Ensino Médio), com o objetivo de identificar, avaliar, disseminar e apoiar experiências inovadoras fundamentadas pelos Critérios de Excelência publicados pela Fundação Nacional da Qualidade.




OBJETIVO

Propor a criação e implementação de um Projeto Piloto com ações de apoio ao desenvolvimento de políticas de Educação Básica (exclusivamente para gestores do Ensino Médio), com o objetivo de identificar, avaliar, disseminar e apoiar experiências inovadoras fundamentadas pelos Critérios de Excelência publicados pela Fundação Nacional da Qualidade, ajustando a “expertise” do pensamento empresarial e do estado da arte da tecnologia ligada à gestão de empresas, estratégia competitiva e perenidade das organizações à realidade das instituições de ensino no sentido de auxiliá-las na busca de caminhos alternativos para o melhor desenvolvimento das atividades profissionais envolvidas no processo de evolução do Ensino Médio, bem como apontar sugestões para a melhoria da qualidade social da aprendizagem dos alunos.




DESENVOLVIMENTO

No Boletim ANPAE/RJ, Ano I, Número 1, publicado em maio de 2005, foram divulgadas experiências germinadas no campo da política educacional voltada especificamente para a gestão da escola, no artigo COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PARA UM GESTOR EDUCACIONAL.
Comparando o gestor como um maestro, (Santos, 2005) enfatiza que o gestor de instituição pública concilia o trabalho pedagógico com o administrativo. Dotado de grande espírito empreendedor e constante atitude inovadora, o maestro de uma instituição pública serve ao público, mas a platéia do “regente-diretor” não se restringe a abater palmas ou vaiar. Ela é formada por uma comunidade educacional, que espera não somente a execução das atribuições altamente complexas do cargo, como também, o alcance de representatividade social de homem-servidor-público. O gestor de escola pública – faz a diferença.
Para o século XXI, não há receitas milagrosas na singularidade específica, além dos fazeres cotidianos de um gestor de escola para uma administração eficaz, ele precisa conhecer, refletir e desenvolver fatores que possa gerenciar a sua própria sobrevivência através do marketing pessoal, a rapidez de raciocínio e decisão, a capacidade de observação, liderança, percepção, facilidade de relacionamento, iniciativa, criatividade, facilidade de comunicação verbal, capacidade de persuasão, equilíbrio emocional, determinação, autoconhecimento, multifuncionalidade, agilidade e flexibilidade, mostrando-se sempre um educador capaz de resolver problemas, gerenciando o risco e trabalhar em equipe.
Anísio Teixeira (1961), salienta que a função do administrador depende muito da pessoa que a exerce, depende de quem ele é, do que tenha aprendido e de uma longa experiência. Tudo isto é que faz o administrador saber-ser. E, é comum, entre nós, pensar que aquilo que não se aprende senão em muitos anos, não se precisa aprender. Daí, não se precisar preparar o administrador. Diz ainda que, quanto mais imperfeito for o magistério, mais se precisa melhorar as condições da Administração Escolar.
Débora Dias Gomes, em seu livro MBA Educação – Escola que aprende (2003), realça a necessidade do gestor/diretor/administrador fazer da escola um laboratório de aprendizado em ações estratégicas, implementando princípios e métodos de qualidade, observando e pesquisando as melhores práticas gerenciais que são utilizadas no mundo empresarial. A escola precisa aprender a se empresariar, consolidando-se como um estabelecimento de ensino por intermédio de um processo de organização gerencial para ter empresabilidade e obter melhores resultados.
Segundo Lia Schoelze, no artigo O Diretor faz a diferença! (Boletim Informativo da ANPAE nº. 1/2004), o gestor escolar deve estabelecer uma relação dialógica com todos os envolvidos na educação. Nessa expectativa, o modelo escola deixa de ser estático para assumir um paradigma dinâmico, descentralizado e democrático. A experiência vivida nesse tipo de escola pode permitir ao aluno passar a ser um cidadão participativo da sociedade, uma vez que o conhecimento construído na troca e na participação constitui-se em grande valor estratégico para desenvolvimento da sociedade e condição importante na qualidade de vida das pessoas. Um diretor comprometido, parceiro na construção das políticas da sua Secretaria e do MEC, poderá ajudar a escola a cumprir sua vocação.
Conclui-se que a principal competência e habilidade de um gestor/diretor/administrador seria encontrada quando fosse respondida de forma holística a seguinte pergunta: QUEM SOU EU PARA GERENCIAR UMA ESCOLA?


CONCLUSÕES
Nunca se falou tanto na necessidade de uma escola plural, interdisciplinar, multicultural, holística. Uma escola que cuide da formação de um “ser integral”. E, se até a alguns anos, essa necessidade era apontada pelos estudiosos da Educação numa concepção totalizante do processo educacional, baseada na não-fragmentação do conhecimento e no entendimento de que os seres humanos não são formados apenas de cognição, hoje é também uma exigência do mercado de trabalho. Algumas empresas, atualmente, no seu processo seletivo, pretendem averiguar, inclusive, a capacidade de sustentação emocional dos candidatos, além do seu potencial para trabalhar em equipe, dentre outras atitudes. Mas, paradoxalmente, e por mais que estejamos vivenciando essa realidade, a escola – filha direta e dileta da tradição cartesiana – só se preocupa com a quantidade de informações que consegue passar (passar sim, e não construir). Ela continua se restringindo apenas à transmissão do patrimônio universalmente constituído, ignorando a reflexão sobre o contexto em que vivemos e pouco se importando com o potencial de modificação da realidade.
Para esta nova escola exige-se um gestor que além de amar a poesia , tenha competência e habilidade para facilitar o processo de mudança implementando ações simbólicas e coerentes alinhadas com a mudança requerida. A implementação de uma cultura de excelência, com novos padrões de comportamento, novos desafios ou adequação nos existentes, novas estratégias, enfim novas diretrizes freqüentemente, requer a mudança de algumas ou de muitas atitudes e paradigmas, um deles, a começar a adoção de um novo vocabulário gerencial, com palavras ou expressões que podem definir o perfil deste novo gestor:
· Gestão estratégica
· Qualidade em educação
· Tempos de mudanças
· Responsabilidade social
· Empoderamento
· Tecnologia e comunicação
· Marketing educacional
· Endomarketing
· Indicadores da qualidade
· Conselho escolar
· Diagnóstico organizacional
· Ferramenta PDCA
· Clima organizacional
· Práticas de excelência em gestão de pessoas
· Capital intelectual
· Educação corporativa
· Gestão de mudanças
· Missão
· Visão de futuro
· Cultura corporativa
· Poder compartilhado
· Realinhamento cultural
· Liderança
Esta nova este novo gestor deverá caminhar em direção ao futuro, com clareza do que precisa aprender e ensinar com competências e habilidades adequados ao modelo de gestão atento ao mundo global.
A cultura desejável é que o gestor seja “aprendiz de sábio” (Gomes,2003), ou seja, aprender como modo de ser, aprendiz de si mesmo, da instituição em que atua, da comunidade, da sociedade, do mundo e dos conhecimentos científicos específicos para cada processo para que possa executar ações que favoreçam os seguintes objetivos:
· Identificar qualidades de liderança que transcendam as limitações impostas pelo ambiente, pelos recursos materiais, físicos e financeiros, por estilos de ensino e por políticas educacionais;
· Estabelecer um ethos forte baseado em expectativas elevadas e a qualidade da liderança;
· Estabelecer parcerias com o setor privado não apenas pelos recursos oferecidos, mas, sobretudo pelo estimulante contato e interação com as pessoas e o capital intelectual das empresas;
· Oferecer referências positivas para outras instituições de ensino;
· Ampliar conceitos de liderança eficiente, dinâmicas de grupo, estilos de liderança, tipos de comportamento, soluções de conflitos e expressão de sentimentos, tomada de decisões, interação com a equipe;
· Ampliar os conceitos de liderança eficaz que se concentra no líder como pessoa, questões da mudança e seus desafios, estresse o ambiente de trabalho, boa administração do tempo, delegação de responsabilidades, estabelecimento de metas e atitudes;
· Pesquisar a dinâmica institucional descrevendo sobre a origem da liderança e seu funcionamento nas organizações, a dimensão moral da liderança e seus estilos.
· Disseminar os fundamentos da excelência em gestão da Fundação Nacional da Qualidade, debatendo o conhecimento sobre excelência em gestão.




BIENAL DO LIVRO_RIOCENTRO_23.09.07


Visitei a BIENAL com o objetivo de pesquisar o último lançamento sobre ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL. Surpreendentemente não encontrei!
Decidi então escrever o meu! Estou na reta final.
....................................................................................................................................
O QUE FIZ E COMO FIZ?
Abrindo as janelas da OrientAÇÃO Educacional
Graça Santos
..........................................................................................................

PROFESSORES QUE BUSCAM A EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO







PROFESSORES QUE BUSCAM A EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO











PONHA MAIS GRAÇA EM SUA VIDA, E NA DOS OUTROS TAMBÉM!

Mande a tristeza para bem longe!

Como você manda sua tristeza embora?

Escreva...

Pedagogia Waldorf: Você conhece?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A Pedagogia Waldorf é um dos desesenvolvimentos das teorias de Rudolf Steiner, além da medicina antroposófica e a agricultura biodinâmica.
Introduzida por Rudolf Steiner em 1919, em Stuttgart, Alemanha, uma das principais características da pedagogia é o embasamento na concepção de desenvolvimento do ser humano, criada pelo próprio Rudolf Steiner, que leva em conta as diferentes características das crianças e jovens, segundo sua idade aproximada. Um mesmo assunto é abordado várias vezes durante o ciclo escolar, mas nunca da mesma maneira, e sempre respeitando a capacidade de compreensão da criança.

Para atingir a formação do ser humano, a pedagogia atua no desenvolvimento físico, anímico e espiritual do aluno, incentivando o querer (agir) por meio da atividade corpórea das crianças em quase todas as aulas. O sentir é estimulado na constante abordagem artística e nas atividades artesanais específicas para cada idade. O pensar é cultivado paulatinamente, desde a imaginação incentivada por meio de contos, lendas e mitos – no início da escolaridade –, até o pensar abstrato rigorosamente científico do Ensino Médio (colegial).
Uma das características marcantes da Pedagogia Waldorf em relação a outros métodos de ensino é o fato de não se exigir ou cultivar precocemente no aluno o pensar abstrato (intelectual).

Almeja-se que todas as aulas sejam um preparo para a vida real. Procura-se desenvolver nos jovens as qualidades necessárias para que eles saibam lidar e principalmente florescer neste mundo de constantes e velozes mudanças, com criatividade, flexibilidade, responsabilidade e capacidade de questionamento.

O jovem, cada vez mais, precisa ser articulado e capaz de se comunicar, tanto se abrindo para o que os outros têm a dizer como encontrando o caminho certo para colocar seus pensamentos no mundo. Por isso, a Pedagogia Waldorf permanece revolucionária até os dias de hoje. Mas poucos sabem sobre ela e tem acesso a sua história.


E o professor?
Rudolf Steiner, numa palestra em Oxford no ano de 1922, definiu as "3 regras de ouro" para um professor Waldorf:

  1. Receber a criança em agradecimento ao mundo de onde ela vem;
  2. Educar a criança com amor;
  3. Conduzir a criança através da verdadeira liberdade que pertence ao Homem".



“A Natureza faz do homem um ser natural; a sociedade faz dele um ser social somente o homem é capaz de fazer de si um ser livre.”

Rudolf Steiner



"Não se deve perguntar quais são os conhecimentos e as faculdades de que o Homem precisa no contexto social vigente, mas antes quais são as capacidades latentes que podem ser acordadas no ser humano. Torna-se assim possível insuflar essa ordem social de novas forças, provenientes das gerações jovens. O dever tornar-se-á aquilo que esses jovens plenamente realizados serão capazes de criar. Assim nunca as novas gerações submeter-se-ão àquilo que a ordem social vigente quiser fazer delas."

Rudolf Steiner


Para informações mais detalhadas sobre a Pedagogia Waldorf, consulte a Sociedade Antroposófica no Brasil

PEE_FÓRUM REGIONAL_IICOED

Relação de Documentos referentes à Construção da proposta de Minuta do Plano Estadual de Educação.

Acesse, conheça e registre suas contribuições.

Documento norteador baseado na Proposta de Minuta do Regimento dos Fóruns Regionais e do II COED;
Anexo I: Relação dos municípios que integram cada pólo onde ocorrerão os Fóruns Regionais;
Anexo II: Proposta de Modelo de Ata para a eleição dos delegados para os Fóruns Regionais e o II COED;
Anexo III: Lista de instituições que receberão ofício para envio de delegado nato, de delegados eleitos e de observador;
Sugestão de modelo de lista de presença para a eleição dos delegados para os Fóruns Regionais e o II COED;
Tese guia que será apreciada nos fóruns regionais e no segundo COED;

ONG: COMO CONSTITUIR?

O termo ONG vem do inglês (Non Governmental) e foi introduzido oficialmente pelas Nações Unidas no ano 1950, no Conselho Econômico e Social (ECOSOC). Foi definida a ONG como " uma organização internacional a qual não foi estabelecida por acordos governamentais."

Deseja saber mais?

Acesse: http://www.portaldomeioambiente.org.br/

AGENDA 21: O QUE É?

"A Agenda 21 reúne o conjunto mais amplo de premissas e recomendações sobre como as nações devem agir para alterar seu vetor de desenvolvimento em favor de modelos sustentáveis e a iniciarem seus programas de sustentabilidade".

Marina Silva, Ministra do Meio Ambiente

Marcos referenciais do Desenvolvimento Sustentável


Contendo 40 capítulos, a Agenda 21 Global foi construída de forma consensuada, com a contribuição de governos e instituições da sociedade civil de 179 países, em um processo que durou dois anos e culminou com a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUMAD), no Rio de Janeiro, em 1992, também conhecida por Rio 92.

Para saber mais, acesse http://www.mma.gov.br/

ACESSÓRIOS ADQUIRIDOS NOS BANCOS ACADÊMICOS

Professora, alfabetizadora, licenciada em Pedagogia, especialista em Orientação Educacional (ABEU/RJ), com pós-graduação em Docência do Ensino Superior (ABEU/RJ), MBA em Gestão Estratégica pela Qualidade em Educação (DDG EDUCAÇÃO & CONSULTORIA/RJ), MBA em Gestão de Projetos com Abordagem Holística Transdisciplinar (Especialização em Ciência, Filosofia, Arte e Tradições Religiosas com Abordagem Holística Transdisciplinar) (UNIPAZ/RJ), Extensão Universitária em Formação Holística de Base UNIPAZ/RJ, Disseminadora de Conselhos Escolares (UNB,/Brasília/DF, Disseminadora de Educação Fiscal pela Escola de Administração Fazendária – Esaf. Diretora Adjunta Pedagógica de CIEP entre os anos de 1993 e 1997. Foi aluna ouvinte do Mestrado em Educação participando do Núcleo de Pesquisa sobre Juventude, Valores e Subjetividades na UERJ, também foi aluna especial do Mestrado em Educação e Saúde do Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde - NUTES/UFRJ. Ministrou aulas no curso de pós-graduação da Faculdade São José/Projeto Conviver nos cursos de Orientação Educacional, Administração Escolar e Supervisão Escolar. Autora do PROJETO ENCONTROS ESSENCIAIS: PAIS & FILHOS promovendo encontros entre pais e filhos, professores e alunos. Consultora na área de Gestão e Desenvolvimento de Lideranças no Centro Educacional Rosa Chamma/RJ, Coordenadora do Eixo V Temático A Relação da Educação Profissional e Tecnológica com a Universalização da Educação Básica – Ensino Médio Integrado na 1ª Conferência Municipal de Educação Profissional e Tecnológica do Município Belford Roxo, Orientadora Educacional do Colégio Realengo, Autora do artigo Competências e Habilidades para um Gestor Educacional publicado no Boletim Informativo da Associação Nacional de Política e Administração da Educação – ANPAE, Membro da Equipe Organizadora e Palestrante do 1º Fórum Municipal de Educação Profissional e Tecnológica de Belford Roxo – Tema: Educação, Trabalho e Ensino Profissionalizante, Palestrante na Universidade Estácio de Sá – Tema: Inovações Didático-Pedagógicas no Cotidiano Escolar. Apresentação do Projeto de Ação Social “NEM SÓ DE PÃO VIVE O HOMEM” no II SEMINÁRIO JOVENS, VALORES E SUBJETIVIDADES na Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. Membro da equipe fundadora da Coordenadoria Regional 21 Região Metropolitana VII no município de Belford Roxo, Assessora da Equipe de Acompanhamento e Avaliação (Inspeção Escolar)

Atualmente ocupa o cargo de confiança de Gerente de Ensino, Gestão e Integração da Coordenadoria Regional 21 Região Metropolitana VII/SEEDUC/Belford Roxo/RJ desenvolve e desenvolveu os seguintes projetos: SEMANA DE INTEGRAÇÃO – PROJETANDO A ESCOLA QUE APRENDE SUAS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES em parceria com a ANPAE, LUZ, CÂMERA, REAÇÃO! SEMINÁRIO: CAMINHO PARA O CONHECIMENTO apresentando a escritora Luzia de Maria, ENCONTRO DE GESTORES – PROJETANDO A ESCOLA QUE APRENDE SUAS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PARA UM NOVO MODELO DE GESTÃO com Débora Dias Gomes, ENCONTRO,COM PROFESSORES ORIENTADORES – TEMA: NOSSAS CP0OMPETÊNCIAS E HABILIDADES PARA ALFABETIZAR, MOSTRA/EXPOSIÇÃO PEDAGÓGICA das 52 unidades escolares estaduais do município de Belford Roxo realizada em três dias no Shopping Carrefour, PROJETO LER, LENDO...ESCREVER, ESCREVENDO, PROJETO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL, desenvolvido nas escolas de Ensino Médio com visitas as universidades, SEMINÁRIO/EXPOSIÇÃO – O QUE A BAIXADA TEM DE MELHOR? E TALENTOS DA BAIXADA FLUMINIENSE, envolvendo vários municípios, ENCONTRO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS – COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PARA ENSINAR MATEMÁTICA ATRAVÉS DE JOGOS, JORNADA DE MEIO AMBIENTE E ECOLOGIA – AQUECIMENTO GLOBAL: INVENTANDO RUMOS, TECENDO POSSIBILIDADES, evento aberto a comunidade, realizado em três dias com a parceria de empresas e participação das 52 unidades escolares públicas estaduais. Orientadora dos Gestores de Escolas Públicas do município de Belford Roxo/RJ na elaboração do relatório para a candidatura do PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE EM GESTÃO ESCOLAR, Gerente do Núcleo de Apoio Pedagógico Especializado – NAPES com o objetivo de implementar a política de inclusão dos alunos com NEE na Rede Estadual de Ensino/CR21R.METROPOLITANAVII/BelfordRoxo/SEEDUC/RJ.Ocupa ainda o cargo Agente Multiplicadora Estadual (AME) do Curso de Formação de Gestores da Educação Pública -PROGESTÃO/SEE/UFJF/MG.Discente do Curso Online-UFF Como Administrar com Consciência Ecológica da Universidade Federal Fluminense, Orientadora Profissional. Palestrante de temas voltados para o desenvolvimento humano e profissional. Membro da comissão organizadora do Fórum Estadual de Educação, Delegada e Coordenadora do eixo temático: ensino médio no Fórum Regional de Educação no município de Nova Iguaçu.

UM OLHAR PARA OS NOSSO JOVENS _ Roberto Crema

ROBERTO CREMA

Psicólogo e antropólogo do Colégio Internacional dos Terapeutas, analista transacional didata, criador do enfoque da Síntese Transacional. Mentor da Formação Holística de Base da UNIPAZ. Diretor da Holos Brasil. Educador e autor de vários livros, entre os quais "Análise Transacional Centrada na Pessoa", "Introdução à visão holística" e "Saúde e plenitude". Vice -reitor da UNIPAZ.

A crise que testemunhamos é de demolição, lição do demo. Lição da fragmentação, do egocentrismo, da exclusão, da falta de escuta, da perda dos valores fundamentais da espécie. É também uma crise da crisálida, de transição, de espasmos de parto de uma nova consciência. Há motivos de sobra para as nossas lágrimas e, também, para os nossos risos.

(Fui sua aluna na UNIPAZ...Um dos meus grandes mestres/líderes)Graça Santos

UM OLHAR PARA OS NOSSOS JOVENS

Como afirma a sabedoria chinesa, crise significa perigo e oportunidade. Para os despreparados, representa estresse e colapso. Para os bem centrados, significa um trampolim para o aprendizado e a evolução. Se não podemos evitar a demolição já em curso, sempre podemos nos preparar para a tarefa de reconstrução, inspirando-nos no lótus, que brota do lodo e o transforma em flor. Transmutar os escombros de nossas torres de Babel do suposto-poder, em pedras de suporte para a edificação de um novo viver, mais integrado, solidário e digno, eis um portentoso desafio do novo milênio.


Diante destes cenários, onde antigas profecias convergem com sóbrios discursos científicos, é imprescindível cuidar de nossos jovens, os Navegantes de um Renovado Mundo, a ser desvelado e edificado. O sintoma talvez mais tocante e desolador de nossos descaminhos é o crescente e alarmante índice do suicídio infanto-juvenil. Uma estatística recente informa que, nos Estados Unidos, quarenta crianças se suicidam, diariamente... Crianças estão matando crianças e se matando, eis uma face do terror de nossos tempos, pela qual, cada um de nós é responsável.Cuidar de nossos jovens é, antes de tudo, abrir a nossa escuta para os seus desejos, os seus sonhos, os seus temores, os seus arrepios, os seus amores. Ser capaz do diálogo aberto e franco. Como afirmam todos os bons terapeutas, pelas palavras do Dalai-Lama, Não se pode dissipar as trevas da ignorância enquanto não se acender a chama da escuta.


Cuidar de nossos jovens é conspirar por uma nova educação que, além de um rudimentar adestramento intelectual, possa colocar a alma e a consciência na sala de aula. Necessitamos, prementemente, de uma alfabetização psíquica, através de um currículo que inclua a subjetividade e facilite o desenvolvimento das inteligências emocional, onírica, ética, noética, relacional e essencial. Como conclama a própria Unesco, através de recentes e paradigmáticos documentos, urge desenvolver a abordagem transdisciplinar em educação, através de seus quatro pilares: educar para conhecer, educar para fazer, educar para conviver e educar para Ser. Necessitamos, portanto, de uma pedagogia iniciática que, através de uma via interior, facilite que o Aprendiz possa inclinar o coração para aprender a aprender, esclarecendo e nutrindo suas sementes vocacionais, para que possa fazer render os seus naturais e autênticos talentos. Somente os vocacionados estarão preparados para os tremendos desafios deste século, cujas caudalosas águas já navegamos! É com esta visão integral que desenvolvemos, na Unipaz de Brasília, a Formação Holística de Jovens e a Formação de Jovens Líderes.
Ela terminou a sua palestra, com um poema que uma menina fez para a sua mãe:No caminho simples,a pequena menina disse à sua mãe:Eu estou seguindo suas pegadas, mãe,e não quero cair.Às vezes, eu as vejo, nitidamente.Outras vezes, mal posso enxergá-las.Caminhe um pouco mais firme, mãe!Para eu poder lhe seguir.Eu sei que há muito tempo,Você percorreu caminhos difíceis que não queria percorrer.Conte-me tudo sobre este tempo, mãe; pois eu preciso saber.Às vezes, quando eu duvido, eu não sei o que fazer.Caminhe um pouco mais firme, mãe!Para eu poder lhe seguir.Um dia, quando eu crescer,Você é quem eu gostaria de ser.Então eu terei uma pequena garotinha,Que vai querer me seguir.Eu quero poder saber conduzi-la à Verdade!Caminhe um pouco mais firme, mãe!Para eu poder lhe seguir...

Trata-se, simplesmente, de caminhar cada dia um pouco mais firme e ereto. Cada dia, ser um pouquinho menos mentiroso, menos terrorista, menos desintegrado. Cada dia, ser capaz de um pouco mais de veracidade, de amor, de fraternidade. Caminhe um pouco mais firme, pai, mãe, político, empresário, educador, cientista, artista, sacerdote, terapeuta!... Para que valha a pena os jovens também caminharem ao nosso lado. Para que possamos, juntos, reinventar o mundo e realizar, plenamente, o esplendor da Utopia Humana.
Ela terminou a sua palestra, com um poema que uma menina fez para a sua mãe:No caminho simples,a pequena menina disse à sua mãe:Eu estou seguindo suas pegadas, mãe,e não quero cair.Às vezes, eu as vejo, nitidamente.Outras vezes, mal posso enxergá-las.Caminhe um pouco mais firme, mãe!Para eu poder lhe seguir.Eu sei que há muito tempo,Você percorreu caminhos difíceis que não queria percorrer.Conte-me tudo sobre este tempo, mãe; pois eu preciso saber.Às vezes, quando eu duvido, eu não sei o que fazer.Caminhe um pouco mais firme, mãe!Para eu poder lhe seguir.Um dia, quando eu crescer,Você é quem eu gostaria de ser.Então eu terei uma pequena garotinha,Que vai querer me seguir.Eu quero poder saber conduzi-la à Verdade!Caminhe um pouco mais firme, mãe!Para eu poder lhe seguir...
Trata-se, simplesmente, de caminhar cada dia um pouco mais firme e ereto. Cada dia, ser um pouquinho menos mentiroso, menos terrorista, menos desintegrado. Cada dia, ser capaz de um pouco mais de veracidade, de amor, de fraternidade. Caminhe um pouco mais firme, pai, mãe, político, empresário, educador, cientista, artista, sacerdote, terapeuta!... Para que valha a pena os jovens também caminharem ao nosso lado. Para que possamos, juntos, reinventar o mundo e realizar, plenamente, o esplendor da Utopia Humana.
Trata-se, simplesmente, de caminhar cada dia um pouco mais firme e ereto. Cada dia, ser um pouquinho menos mentiroso, menos terrorista, menos desintegrado. Cada dia, ser capaz de um pouco mais de veracidade, de amor, de fraternidade. Caminhe um pouco mais firme, pai, mãe, político, empresário, educador, cientista, artista, sacerdote, terapeuta!... Para que valha a pena os jovens também caminharem ao nosso lado. Para que possamos, juntos, reinventar o mundo e realizar, plenamente, o esplendor da Utopia Humana.



Cuidar de nossos jovens é, sobretudo, dar um testemunho de um existir mais íntegro e transparente, mais terno, sábio e fraterno. Menos discursos e mais exemplos, menos palavras e mais ações. Gosto de lembrar de um simpósio que assisti num congresso internacional de psicologia transpessoal, sobre tecnologia do sagrado, ocorrido em 1986, focado no tema da violação infantil. Denominado de As Crianças do Trauma, foi coordenado por Christina Grof. Uma terapeuta americana, Nancy Puhlmann, de forma sábia e contundente, iniciou uma fala, vigorosa e tocante, com estas palavras, que busco resgatar através de um exercício livre de memória: Pertenço a uma família onde, em três gerações, as mulheres se suicidaram no mesmo dia, na mesma hora, do mesmo jeito. Eu não tive bisavó, eu não tive avó, eu não tive mãe. Quando criança, sofri abusos, físicos e emocionais. Eu estava totalmente perdida, quando encontrei um homem. Ele não tinha nenhum diploma. Era representante de uma nação indígena. Este homem olhou para os meus olhos e me disse: Ninguém pode machucar o seu Espírito, exceto você! E tudo o que eu sei, aprendi com ele. Depois fiz um doutorado, para que vocês me ouçam...

O QUE É CULTURA DE PAZ?

Cultura de Paz constitui um conjunto de valores, atitudes, tradições, modos de comportamento e estilos de vida e vem sendo trabalhado no marco da transdisciplinaridade, dos direitos humanos e da educação.

Exercite sua CURIOSIDADE e acesse os sites:

www.unesco.org.br/areas/dsocial/areastematicas/culturadepaz/mostra_padrao www.portaldovoluntario.org.br/site/pagina.php?idconteudo=500 - www.aliancapelainfancia.org.br/atuacao/culturadepaz.asp -

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=128382www.gabrielasoudapaz.orghttp://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=11570507032028615391http://www.soudapaz.org/

BRAHMA KUMARIS
http://www.bkumaris.org.br/informativo/index.htm


UNESCO
Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura. Publicações, links, notícias, eventos e muito mais.
www.unesco.org.br/ Oportunidades de Trabalho - www.unesco.org.br/.../mostra_padraoEducação - www.unesco.org.br/areas/educacao/mostra_padraono Brasil - www.unesco.org.br/unesco/nobrasil/mostra_padraoCultura - www.unesco.org.br/areas/cultura/mostra_padrao

UNIPAZ
A Rede Internacional UNIPAZ é composta por diversas unidades e foi criada para disseminar uma Cultura de Paz, promovendo a inteireza do serhumano.
www.unipaz.org/

A paz mundial começa pela pazi ndividual. Mensagem de Prem Rawat
www.lapazesposible.es

Pierre Weil
www.pierreweil.pro.br

Mosteiro da Anunciação - GOempaz.orgCentro de Ecologia Integral
www.ecologiaintegral.org.br/

Jornal do Meio Ambiente
www.jornaldomeioambiente.com.br

Projeto Cooperação
www.projetocooperacao.com.br

Instituto Renascer
www.institutorenascer.org.br

Guardiães do Amanhã
www.guardiaesdoamanha.org.br

Nosso Futuro Roubado
www.nossofuturoroubado.com.br



O que decobriu???
Registre aqui suas descobertas!!!!Suas atitudes!!!Suas idéias!!!!

ENDOQUALITY: planejamento estratégico pessoal

Endoquality — a qualidade de dentro para fora. É necessário trabalhar de maneira mais profunda os alicerces da nossa visão de mundo. A palavra organização significa uma coleção de órgãos. Nesse sentido, cada indivíduo é uma organização. Assim, não é possível ter uma organização excelente, dinâmica, que busca resultados positivos,se o componente humano se encontra perdido ou confuso. A matemática de sistemas fechados não permite que a soma das partes seja muito diferente dos valores individuais agregados por cada componente.

Quer saber mais?
Solicite este Projeto na sua escola...deixe seu comentário e seus dados para que eu possa entrar em contato.

CULTURA DE COACHING: SUA ESCOLA TEM UMA?

O Coaching é uma das mais poderosas Ferramentas de Liderança e Gestão de Pessoas disponíveis hoje. 

Para que o Coaching alcance todo o seu potencial dentro da Organização, no entanto, se faz necessário verificar e trabalhar a compatibilidade entre a Cultura inerente à própria Organização e as práticas e pressupostos do Coaching. Este trabalho de sintonia fina compreende o Desenvolvimento de uma Cultura de Coaching na Organização e tem, muitas vezes, um profissional como seu principal Facilitador.

Elementos que permitem verificar o progresso da ESCOLA em relação à implantação da Cultura de Coaching:

- O Coaching é percebido como uma Oportunidade para o Desenvolvimento Profissional e Pessoal.

- As Pessoas compreendem o conceito de Feedback e sabem utilizá-lo eficazmente como Ferramenta de Desenvolvimento Pessoal e Profissional.
- As Pessoas sabem iniciar, conduzir e finalizar discussões produtivas e Emocionalmente Inteligentes, além de Intelectualmente Competentes: sabem manter a objetividade ao longo do processo sem deixar, por exemplo, que emoções e/ou pré-julgamentos prejudiquem o seu raciocínio.

- O Coaching é percebido pelo Líder nº 1 como uma relação de parceria e de construção de Conhecimento.

- A necessidade de Superação contínua dos Limites por parte das Equipes e dos indivíduos é compreendida como uma Competência Organizacional Essencial e o Coaching, por sua vez, é percebido como uma parte Fundamental do processo.

- Os Programas de Desenvolvimento de Líderes mantidos pela Organização efetivamente capacitam os Líderes na utilização das Práticas de Coaching mais relevantes para a sua Realidade Profissional

RESPONSABILIDADE SOCIO-AMBIENTAL

CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE

Captação de parcerias (individuais, coletivas, empresariais, ONGs, alunos, ex-alunos...) através de um projeto de RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL desenvolvido pela Coach Graça Santos que se comprometeu em realizar uma Consultoria Em Gestão Estratégica Pedagógica com o objetivo de ampliar a qualidade social do Curso Técnico em Meio Ambiente ministrado no Colégio Estadual Presidente Kennedy. SEJA PROTAGONISTA DE UM NOVO TEMPO!!!Entre em contato!Graça SantosCoach

O Colégio Estadual Presidente Kennedy localiza-se na Rua Postal, 50 Vila Medeiros – Belford Roxo - Rio de Janeiro - Diretora Geral Professora Conceição Leite.

Quantitativo de alunos matriculados: 3500Cursos ministrados:
Ensino Médio: (Formação Geral)
Educação Profissional:
  • Curso Técnico em Contabilidade
  • Curso Técnico em Meio Ambiente
ACESSE A COMUNIDADE NO ORKUT!!!
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=27334171

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO_NOVA IGUAÇU_UNIG







A construção do Plano Estadual de Educação do Rio de Janeiro reveste-se de grande importância em um momento de intensa expectativa da população fluminense quanto à definição das políticas públicas na área de educação para o nosso estado. Logo, no intuito de subsidiar as discussões de amplos segmentos da sociedade civil em torno da construção do Plano Estadual de Educação, a Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC) está construindo uma proposta de Minuta do Plano Estadual de Educação, em parceria com a União dos Dirigentes Municipais de Educação do Rio de Janeiro (UNDIMERJ) e com a participação de inúmeras instituições de renome.

A Coordenadoria Regional 21 Região Metropolitana VII indicou a Professora Graça Santos como DELEGADA NATA para atuar como COORDENADORA da discussão com os delegados eleitos o eixo temático ENSINO MÉDIO. Se você desejar o material, solicite através de seu comentário neste blogspot.

JORNADA DE MEIO AMBIENTE


PALESTRA_ECOLOGIA PESSOAL

FÓRUM DE PAZ - Tema: Levanta-te e vem para o meio -
Palestra - ECOLOGIA PESSOAL - Graça Santos Organizadora e Palestrante Integração)
em 2005 no auditório da UNIABEU/BELFORD ROXO/RJ.

PROJETO ESCOLA DE PAIS



LANÇAMENTO DO PROJETO ESCOLA DE PAIS
Palestra: A Arte de Educar- Disciplina, Indisciplina: Postura ou Desafio,
baseada na leitura do livro A ARTE DE EDUCAR de Flávio Gikovate.

PROJETO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL


LANÇAMENTO DO PROJETO: LUZ, CÂMERA, AÇÃO...O CERC NA ESCOLHA DA MINHA PROFISSÃO...17maio2007

Palestrantes: Profª Drª Mírian Paura (Professora Titular da UERJ), Márcia Dóring (Engenheira Civil e Técnica em edificações), Ledi Carminatti (fisioterapeuta e Profª de Educação Física), Hellen Espíndola (Profª de Língua Portuguesa e Mestre em Educação) e Profº Drº Alvaro Filho (Biólogo, Médico e Professor de Pré-Vestibular do Grupo CERC)RIO DE JANEIRO

Graça Santos & Wasiry Guará


V SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO... Wasiry Guará (índio de aldeia no Amazonas) e Graça Santos (Gerente de Ensino, Gestão e Integração CR21RMVII/SEEDUC/RJ em 22maio2007.

V SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO DE BELFORD ROXO...DANIEL MUNDURUKU (Aldeia no Pará) e Graça Santos (Gerente de Ensino, Gestão e Integração/CR21RMVII/SEEDUC/RJ)
em 22maio2007.



V CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO- UMA ESCOLA PARA CIDADÃOS-02MAIO2007...Pavel Kazarian (Supervisor-Geral da Escola de Teatro Bolshoi)
e Profª Graça Santos, RIOCENTRO/RJ.

V CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO - UMA ESCOLA PARA CIDADÃOS-02MAIO2007...Profº José Pacheco (Diretor da Escola da Ponte/Portugal)
e Profª Graça Santos, RIOCENTRO/RJ.

V CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO_EDITORA MODERNA_02 de maio de 2007

GRAÇA SANTOS
V CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO
RIOCENTRO/RJ.

EMPREENDEDORISMO







COLÉGIO ESTADUALPRESIDENTE KENNEDY/SEEDUC/BELFORD ROXO/RJ - Palestra: Planejamento Estratégico Pessoal, Ecologia Pessoal e Empreendedorismo...26março2007-
no 1º Curso Técnico de Meio Ambiente no Estado do Rio de Janeiro.


Qual a diferença entre empreendedor e empresário?

Existe uma confusão social muito grande entre o “empreendedor” e o “empresário”. Empreendedor, para muitos (muitas vezes pessoas importantes e formadores de opinião), é simplesmente aquela pessoa que abre um negócio. Já para outros, este é o empresário. Na verdade, o empreendedor é muito mais do que isso, mas, muitas vezes, nem precisa ser isso. De um modo geral, considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou circulação de bens ou de serviços. O empreendedor não precisa abrir seu próprio negócio. Ele pode participar do negócio de outras pessoas, mas de uma forma pró-ativa e, antes de tudo, deve sentir-se realizado por assim proceder.

· Quais os fatores que motivam um empreendedor?

O empreendedor, em geral, é motivado pela auto-realização e pelo desejo de assumir responsabilidades e ser independente. Ele considera irresistíveis os novos empreendimentos e propõe sempre idéias criativas, seguidas de ação.
· A pessoa nasce empreendedora?

Na verdade ninguém nasce empreendedor. O contato com família, escola, amigos, trabalho, sociedade vai favorecendo o desenvolvimento de alguns talentos e características de personalidade e bloqueando ou enfraquecendo outros. Isso acontece ao longo da vida, muitas vezes ao acaso, pelas diversas circunstâncias enfrentadas. O empreendedor é um ser social, e assim sendo é fruto da relação constante entre os talentos e características individuais e o meio em que vive. Ser empreendedor não é fruto do nascimento ou de herança genética, mas resultado de trabalho, talento e reserva econômica.

· O que leva alguém a ter o próprio negócio?

Em geral, as pessoas que sonham em ter o seu próprio negócio são movidas pela ambição de ganhar muito dinheiro e ser independentes. A simples idéia de estarem subordinadas a alguém as apavora. Algumas pessoas são levadas a abrir o seu próprio negócio por motivos que, muitas vezes, são alheios às suas vontades. Tais situações abrangem exemplos de profissionais que saíram de grandes organizações com recursos econômicos significativos e que resolveram montar o seu próprio negócio; aqueles que deixaram seus empregos para se tornarem empresários e aqueles que, sem a maior pretensão, herdaram algum negócio da família. Na realidade, ser o próprio patrão implica estar exposto a constantes mudanças, assumir responsabilidades e sofrer pressões da sociedade, dos órgãos governamentais e dos empregados. A dedicação ao trabalho aumenta significativamente: muitas vezes trabalha-se mais de 8 horas por dia, sem um salário fixo garantido no final do mês, e sem férias integrais. Ser um grande executivo de uma empresa não significa ser um grande empresário.
· O que define um empreendedor bem sucedido?

O empreendedor bem-sucedido é uma pessoa com características de personalidade e talento que preenchem um padrão determinado, o que o leva a agir de tal forma que alcança o sucesso, realiza os seus sonhos e atinge os seus objetivos.


· O que é empreendedorismo?

Empreendedorismo é a capacidade de transformar uma idéia em realidade, seja ela inovadora ou não. Ser empreendedor é ser capaz de identificar oportunidades, desenvolver uma visão do ambiente; ser capaz de contagiar pessoas com suas idéias; é estar pronto para assumir riscos e aprender com os erros; é ser um profundo conhecedor do todo e não só de algumas partes; é, dentre outras atribuições, ser capaz de utilizar essas informações para seu próprio aperfeiçoamento.

· O que significa o termo empreendedorismo?

É uma livre tradução que se faz da palavra entrepreneurship. Designa uma área de grande abrangência e trata de outros temas além da criação de empresas: • geração do auto-emprego (trabalhador autônomo); • empreendedorismo comunitário (como as comunidades empreendem); • intra-empreendedorismo (o empregado empreendedor); • políticas públicas (políticas governamentais para o setor); Alguns exemplos do que seja um empreendedor: Aquele indivíduo que cria uma empresa, qualquer que seja ela; Aquela pessoa que compra uma empresa e introduz inovações, assumindo riscos, seja na forma de administrar, vender, fabricar, distribuir ou de fazer propaganda dos seus produtos e/ou serviços, agregando novos valores; empregado que introduz inovações em uma organização, provocando o surgimento de valores adicionais. Não se considera, contudo, empreendedor uma pessoa que, por exemplo, adquira uma empresa e não introduza qualquer inovação (seja na forma de vender, de produzir, de tratar os clientes), mas somente gerencie o negócio.

· Para que servem tais conceitos?

São eles o ponto de partida dos pesquisadores para o estudo das condições que levam o empreendedor ao sucesso. É através desse entendimento que é possível ensinar-se a alguém a ser empreendedor. Por isso, o estudo do perfil de empreendedores é o tema central das pesquisas e tem sido de grande valia para a educação na área. Os empreendedores podem ser voluntários (que têm motivação para empreender) ou involuntários (que são forçados a empreender por motivos alheios à sua vontade: desempregados, imigrantes etc.).


· Para que servem tais conceitos?

São eles o ponto de partida dos pesquisadores para o estudo das condições que levam o empreendedor ao sucesso. É através desse entendimento que é possível ensinar-se a alguém a ser empreendedor. Por isso, o estudo do perfil de empreendedores é o tema central das pesquisas e tem sido de grande valia para a educação na área. Os empreendedores podem ser voluntários (que têm motivação para empreender) ou involuntários (que são forçados a empreender por motivos alheios à sua vontade: desempregados, imigrantes etc.).


· Mas o que é um empreendedor? Como definí-lo?

Ser empreendedor é ser capaz de identificar oportunidades, desenvolver uma visão do ambiente, ser capaz de contagiar pessoas com sua idéia, é estar pronto para assumir riscos e aprender com erros, é ser um profundo conhecedor do todo e não só de algumas partes, é dentre outras atribuições, ser capaz de obter feedback e utilizar essas informações para seu próprio aprimoramento.Numa visão mais simplista, podemos entender como empreendedor aquele que inicia algo novo, que vê o que ninguém vê, enfim, aquele que realiza antes, aquele que sai da área do sonho, do desejo, e parte para a ação. Um empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões, e acima de tudo, é um realizador que produz novas idéias através da congruência entre criatividade e imaginação.

· O que significa Perfil do empreendedor de sucesso? Por que identificá-lo?

O perfil do empreendedor é baseado num conjunto de fatores de comportamentos e atitudes que contribuem para o sucesso. Estes conjuntos podem variar de lugar para lugar. E a identificação do perfil do empreendedor de sucesso é feita para que se possa aprender a agir, adotando comportamentos e atitudes adequadas. Mas é importante termos consciência de que ainda não se pode estabelecer uma relação absoluta de causa e efeito. Ou seja, se uma pessoa tiver tais características, certamente vai ter sucesso. O que se pode dizer é que, se determinada pessoa tem as características e aptidões mais comumente encontradas nos empreendedores, mais chances terá de ser bem sucedida.

Algumas características que formam o perfil do empreendedor de sucesso: • Possuir motivação pelo desejo de realizar; • Disposição de correr riscos viáveis, possíveis; • Possuir capacidade de análise; • Necessidade de liberdade para agir e para definir suas metas e os caminhos para atingi-las. • Saber onde quer chegar; confiar em si mesmo, sempre com alto comprometimento. • Não depender dos outros para agir; porém, saber agir em conjunto. • Ser otimista, sem perder o contato com a realidade.• Ser flexível sempre que preciso.• Saber administrar suas necessidades e frustrações, sem por elas se deixar dominar.• Ser capaz de manter a automotivação, mesmo em situações difíceis.• Ser capaz de aceitar e aprender com seus erros e com os erros dos outros.• Ser capaz de recomeçar, se necessário.• Manter a auto-estima, mesmo em situações de fracasso.• Ser capaz de exercer liderança, de motivar e de orientar outras pessoas com relação ao trabalho.• Ser criativo na solução de problemas.• Ser capaz de delegar. • Dirigir sua agressividade para a conquista de metas, a solução de problemas e o enfrentamento de dificuldades.• Ter prazer em realizar o trabalho e em observar o seu próprio crescimento empresarial. • Ser capaz de administrar bem o tempo, e acima de tudo, conhecer muito bem o ramo que atua.


· Qual a diferença entre Idéia e oportunidade?

Há uma grande diferença entre idéia e oportunidade, e isso é uma das grandes causas de insucesso. A confusão é muito comum entre os empreendedores iniciantes. Identificar e agarrar uma oportunidade é, por excelência, a grande virtude do empreendedor de sucesso. É necessário que o pré-empreendedor desenvolva essa capacidade, praticando sempre. Atrás de uma oportunidade sempre existe uma idéia, mas somente um estudo de viabilidade, que pode ser feito através do Plano de Negócios, indicará seu potencial de transformar-se em um bom negócio.
Algumas fontes de idéias:• Negócios existentes: Pode haver excelentes oportunidades em negócios em falência. É lógico que os bons negócios são adquiridos por pessoas próximas (empregados, diretores, clientes, fornecedores). • Franquias e Patentes. • Licença de produtos: Uma fonte de boas idéias é assinar revistas da área. Corporações, universidades e institutos de pesquisa não-lucrativos podem ser fontes de idéias. • Feiras e exposições • Empregos anteriores: Grande número de negócios são iniciados por produtos ou serviços baseados em tecnologia e idéias desenvolvidas por empreendedores enquanto eram empregados de outros. • Contatos profissionais: Advogados de patentes, contadores, bancos, associações de empreendedores. • Consultoria: Dar consultoria pode ser uma fonte de idéias. • Pesquisa universitária • A observação do que se passa em volta, nas ruas. • Idéias que deram certo em outros lugares. • Experiência enquanto consumidores. • Mudanças demográficas e sociais, mudanças nas circunstâncias de mercado. • Caos econômico, crises, atrasos (quando há estabilidade, as oportunidades são mais raras). • Uso das capacidades e habilidades pessoais. • Imitação • Dar vida à uma visão. • Transformar um problema em oportunidade. Sobre a oportunidade:• Ela deve se ajustar ao empreendedor. Algo que é uma oportunidade para uma pessoa pode não ser para outra, por vários motivos (know-how, perfil individual, motivação, relações etc.)• É um alvo móvel. Se alguém a vê, ainda há tempo de aproveitá-la. • Um empreendedor habilidoso dá forma a uma oportunidade onde outros nada vêem, ou vêem muito cedo ou tarde. • Idéias não são necessariamente oportunidades (embora no âmago de uma oportunidade exista uma idéia). • A oportunidade é a fagulha que detona a explosão do empreendedorismo. • Há idéias em maior quantidade do que boas oportunidades de negócios. • Características da oportunidade: é atraente, durável, tem uma hora certa, ancora-se em um produto ou serviço que cria, ou adiciona valor para o seu comprador. • Apresenta um desafio: reconhecer uma oportunidade enterrada em dados contraditórios, sinais, inconsistências, lacunas de informação e outros vácuos, atrasos e avanços, barulho e caos do mercado (quanto mais imperfeito o mercado, mais abundantes são as oportunidades). • Reconhecer e agarrar oportunidades não é uma questão de usar técnicas, checklists e outros métodos de identificar e avaliar; não há receita de bolo (a literatura tem mais de 200 métodos), mas depende da capacidade do empreendedor.

· Quais os fatores para os quais o novo empreendedor deve estar atento?

O novo empreendedor precisa estar atento aos seguintes aspectos:• Saber o que será o negócio: O novo empreendedor deverá ser capaz de definir sua idéia em um Plano de Negócios, onde precisará delinear o que é e como deve funcionar o novo empreendimento, definindo quem serão seus clientes, quais serão seus produtos e/ou serviços, quem serão os seus fornecedores e principalmente quem serão os seus concorrentes.
• Manutenção da idéia: Após concluído o plano de negócios e concretizada a idéia inicial é necessária a manutenção da empresa. A manutenção está relacionada com a satisfação de seus clientes. Produtos ou serviços só podem ser lançados de forma eficiente se tiverem de acordo com as expectativas do público-alvo. Para identificar as expectativas do cliente ou consumidor é preciso identificar seus valores e suas preferências, enfim, suas características de compra ou de contratação de serviço. Só é possível obter prosperidade no negócio se o empreendedor for capaz de enxergar oportunidades e ameaças no ambiente externo e conciliá-los com seus pontos fortes e pontos fracos.

O novo empreendedor precisa estar atento aos seguintes aspectos:

• Saber o que será o negócio: O novo empreendedor deverá ser capaz de definir sua idéia em um Plano de Negócios, onde precisará delinear o que é e como deve funcionar o novo empreendimento, definindo quem serão seus clientes, quais serão seus produtos e/ou serviços, quem serão os seus fornecedores e principalmente quem serão os seus concorrentes.
• Manutenção da idéia: Após concluído o plano de negócios e concretizada a idéia inicial é necessária a manutenção da empresa. A manutenção está relacionada com a satisfação de seus clientes. Produtos ou serviços só podem ser lançados de forma eficiente se tiverem de acordo com as expectativas do público-alvo. Para identificar as expectativas do cliente ou consumidor é preciso identificar seus valores e suas preferências, enfim, suas características de compra ou de contratação de serviço. Só é possível obter prosperidade no negócio se o empreendedor for capaz de enxergar oportunidades e ameaças no ambiente externo e conciliá-los com seus pontos fortes e pontos fracos.

APRESENTAÇÃO ACADÊMICA: Como fazer?








RECEITA DE LIVROS PARA AQUELES QUE DESEJAM UMA MELHOR COMUNICAÇÃO COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

1. COMO CUIDAR DE BEBÊS E CRIANÇAS PEQUENAS de Maria Tereza Maldonado, Editora Saraiva, 1996.
2. MIL DICAS PARA ENTENDER SEUS FILHOS DE 0 A 7 ANOS de Harry Ifergan e Rica Etienne, Jorge Zahar Editora, 2001.
3. AUTORIDADE DOS PAIS E EDUCAÇÃO DA LIBERDADE de Haim Grünspun, Almed Editora, 1985.
4. LIMITES SEM TRAUMA de Tânia Zagury, Editora Record, 2001.
5. EDUCAR SEM CULPA de Tânia Zagury, Editora Record, 1996.
6. APRENDENDO A CONVIVER COM ADOLESCENTES 2a Edição Revisada, de Francisco Baptista Neto e Luiz Carlos Osório, Editora Insular, 2002.
7. ENCURTANDO A ADOLESCÊNCIA de Tânia Zagury, Editora Record, 1999.
8. O ADOLESCENTE POR ELE MESMO de Tânia Zagury, Editora Record, 1997.
9. OS CONSTRUTORES DA PAZ de Maria Tereza Maldonado, Editora Moderna, 1997.
10. COMUNICAÇÃO ENTRE PAIS E FILHOS de Maria Tereza Maldonado, Editora Saraiva, 1997.
11. DISCIPLINA, LIMITE NA MEDIDA CERTA 41 a Edição, de lçami Tiba, Editora Gente, 1996.
12. AMAR SEU FILHO NÃO BASTA de Nancy Samalin e Martha M. Jablow, Editora Saraiva, 1998.
13. DESAFIOS DA CONVIVÊNCIA de Lídia Rosenberg Aratangy, Editora Gente, 1998.
14. AUTO ESTIMA de Nathaniel Brander, Editora Saraiva, 1998.
15. CASTIGO E AFETO de Harris Clemes e Reynold Bean, Editora Gente, 1995.
16. ÉTICA PARA MEU FILHO de Femando Savater, Editora Martíns Fontes, 2002.
17. AS CRIANÇAS QUEREM SABER E AGORA? de Maria da Graça Augusto e outros, Editora Casa do Psicólogo, 1992.
18. DESVENDANDO A SEXUALIDADE de César Nunes, Editora Papirus, 1987.
19. VAMOS FALAR SOBRE SEXO de Robie H. Harrís, Editora Martins Fontes, 1997.
20. O QUE OS JOVENS GOSTARIAM DE SABER QUE OS ADULTOS TEM DIFCULDADES DE RESPONDER, de Eduardo Aquino, Editora Modos Vivendi, 1997.
21. VIDA EM FAMíLIA de Maria Tereza Maldonado, Editora Saraiva, 1996.
22. CRIANDO MENINOS de Steve Bidduph – Editora Fundamento – 2002
23. QUEM VAI EDUCAR SEUS FILHOS de Steve Bidduph – Editora Fundamento – 2003.
24. O SEGREDO DAS CRIANÇAS FELIZES de Steve Bidduph – Editora Fundamento – 2003. 25. EDUCANDO NOSSOS FILHOS de Maria Cristina Sodré Doria, Editora Vozes, 1979.
26. EDUCAR DIÁLOGO DE GERAÇÕES de Pe. Charbonneau, Editora Pedagógica Universitária, 1973.
27. PAIS E FILHOS DIALOGO SOBRE 0 AMOR de Pe. Charbonneau, 1978.
28. CASAMENTO E ACALENTO de Haim e Feiga Grünspun, Editora Marco Zero, 1990.
29. EDUCAÇÃO A FAMÍLIA DESAFIADA de Ernesto e Tida Lima Gonçalves, Editora Paulus, 1994.
0. MÃE, PAI E FILHOS ENCONTROS E DESENCONTROS de lsaac Mieinik, Editora Graphbox,1993.
31. O COMPORTAMENTO INFANTIL de Isaac Míelnik, Editora Ibrasa, 1982.
32. APRENDENDO A LIDAR COM GENTE, de Lucila Rupp de Magalhães, Editora Casa de Qualidade, 1999.
33. MIL DICAS PARA ENTENDER SEUS FILHOS DE 6 A 12 ANOS de Harry lfergan e Rica Etienne, J. Zahar Editor, 2001.
34. CRIANÇAS RESPONSÁVEIS de Harris Clemes e Reynold Bean, Editora Gente, 1995.
35. PAIS E MÃES MELHORES de Reynold Bean, Editora Gente, 1995
36. ADOLESCENTES SEGUROS de Hards Clemes, Reynold Bean, Aminah Clark, Editora Gente, 1995.
37. O QUE TODA CRIANÇA GOSTARIA QUE SEUS PAIS SOUBESSEM, de Lee Salk, Editora Record, 1982.
38. ADOLESCENTE HOJE de Luiz Carios Osório, Editora Artmed, 1992.
39. UMA VIDA PARA SEUS FILHOS de Bruno Bettelheim, Editora Campus, 1988.
40. COMO A CRIANÇA PENSA de Ruth M. Beard, 11 a Edição, Editora Ibrasa, 1999.
41. TER OU SER de Erích Fromm, Editora ltatiaia, 1958.
42. NECESSIDADE DE AMOR de Paul Chauchard, Editora Herder, 1967.
43. AMANDO UNS AOS OUTROS de Leo Buscaglia, Editora Nova Era, 20' Edição, 1998.
44. VIVENDO, AMANDO E APRENDENDO de Leo Buscaglia, Editora Nova Era, 20'Edição, 1996
45. REVOLUCIONANDO 0 APRENDIZADO de Gordon Dryden e Jeannette Vos, Makron Books,1996.
46. MAIORES DE 40 de Maria Tereza Maldonado e Alberto GoIdín, Editora Saraiva, 1997.
47. A RESPOSTA ESTÁ EM MIM de Micheline Lacasse, Editora Vozes, 1997.
48. INTELIGÊNCIA EMOCIONAL E ARTE DE EDUCAR NOSSOS FILHOS de John Gottman, Editora Objetiva,1997.
49. PAIS E MÃES EMOCIONALMENTE INTELIGENTES de Maurice J. Elias e outros, Editora Objetiva, 1999.
50. A ARTE DE EDUCAR de Flávio Gikovate, MG Editores, 2002

FALANDO DE SEXUALIDADE

Penso que o conteúdo destes sites agregarão valor ao seu conhecimento.Sugiro que naveguem, pesquisem, leiam e registrem seus comentários!!!

Um abraço gracioso.

http://www.isexp.com.br/si/site/0628?idioma=portugues

http://www.espirito.com.br/portal/artigos/eneas-canhadas/o-que-eh-sexualidade.html

http://www.revista.ulbrajp.edu.br/seer/inicia/ojs/viewarticle.php?id=263

http://planetanatural.com.br/detalhe.asp?cod_secao=57&idnot=544

http://www.estudanteonline.com.br/?opcoes=1&noticia=122

http://www.sexualidade.org/

http://www.portaldasexualidade.com.br/

A ARTE DE EDUCAR

LANÇAMENTO DO PROJETO ESCOLA DE PAIS

Palestra: A Arte de Educar- Disciplina, Indisciplina: Postura ou Desafio, baseada na leitura do livro A ARTE DE EDUCAR de Flávio Gikovate.

Acessem o endereço abaixo e conheçam a PALESTRA: A ARTE DE EDUCAR ministrada pela PROFESSORA GRAÇA SANTOS na ESCOLA ABERTA do GRUPO CERC.

http://www.cerc.com.br/?secao=4684&categoria=20365&id_noticia=88824

Fique de olho...na ÉTICA!

VÍDEOS EDUCACIONAIS_SENADO FEDERAL

Produzidos pela Central de Vídeo do ILB, são, em sua maioria, telecursos voltados à EAD para o Legislativo. Aqui você encontra também documentários e programas especiais de interesse geral.http://www.senado.gov.br/sf/senado/ilb/asp/AV_VideosEducacionais.asphttp://www.senado.gov.br/sf/senado/ilb/asp/AV_VideosEducacionais_ConexaoMundo.asp

JORNAL FOLHA DIRIGIDA_ENTREVISTA GRAÇA SANTOS

Entrevista_JORNAL FOLHA DIRIGIDA_22maio2007


Cerc mostra aos alunos caminhos para a escolha da profissão.


Qual carreira você vai escolher? Esta é uma pergunta que atormenta os adolescentes, principalmente, aqueles que estão terminando o ensino médio. Para amenizar o nervosismo e ajudar a encontrar um caminho sem estresse, muitos colégios estão apostando em uma preparação psicológica para seus alunos.Uma dessas instituições é o Centro Educacional Rosa Chama, de Vila da Penha. "Um dos problemas centrais do adolescente é a busca de sua identidade, na qual se inclui a identidade ocupacional. Essa busca, que deveria acompanhar o processo de transição e de desenvolvimento, torna-se mais conflitante em razão de fatores diversos", explicou a Coach Educacional do Grupo Cerc e Coordenadora do Grupo de Estudos: Orientando quem orienta, professora Graça Santos, ao justificar o motivo da criação do projeto "Luz, Câmera, Ação...O Cerc na escolha da minha profissão".Os objetivos do programa destinado aos pais e filhos da 8ª série ao ensino médio são facilitar e ampliar a comunicação entre eles. "Outras metas são propiciar um espaço de reflexão sobre o mundo do trabalho; auxiliar os jovens no autoconhecimento; estimular uma atitude ativa e crítica sobre a construção de seu futuro profissional; e proporcionar um espaço de vivência com a realidade prática dos fazeres das diferentes profissões", conta a educadora.Graça Santos ressaltou a participação efetiva dos alunos na palestra de abertura do evento, realizada em 17 de maio. "Observamos a curiosidade e a disponibilidade na busca de informações sobre as diferentes profissões. A angústia, o medo, a dúvida, a certeza, a impaciência e o desejo de que a solução chegue como um passe de mágica são sentimentos presentes nos jovens".Segundo a professora, ninguém nasce para uma profissão apenas. "Toda história pessoal de cada um, determinará o processo de escolha ou re-escolha".O Projeto lançado em 17 de maio terá continuidade durante o ano letivo com encontrosdos alunos e orientadores.